Edição


3º número da estrema: Revista Interdisciplinar de Humanidades.

Ficha Técnica de Edição Outono 2013

Editorial

estrema

estremarevista interdisciplinar de humanidades é uma revista on line do Centro de Estudos Comparatistas (CEC) da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) e tem como objectivo publicar artigos dos alunos de qualquer curso de Humanidades. Tratando-se de uma publicação de carácter interdisciplinar na área das humanidades, a estrema acolherá trabalhos realizados nas áreas da linguística, da literatura, da teologia, da filosofia, da história, das artes visuais, entre outras. Pretende-se, deste modo, promover uma abertura hermenêutica que permita um reposicionamento problematizante da estremaTodos os artigos publicados foram sujeitos a um processo de double blind peer review.

O Surrealismo de Raúl Perez: A Reconstituição e a Perda do Corpo Uno

3ª Edição

Michele Rocha

Resumo:

A obra de Raúl Perez destaca-se no panorama do Surrealismo português não só pela singularidade técnica e expressiva mas sobretudo pela afirmação de um universo simbólico, marcadamente introspetivo, muito próximo das fontes alquímicas e esotéricas. O artigo tem como objetivo analisar a obra plástica de Raúl Perez, com incidência nas décadas de 70 e 80, no sentido de identificar constantes imagéticas ou territórios de convergência, esclarecedores das variações do seu discurso plástico. O estudo permitiu identificar uma oscilação entre a afirmação de uma dimensão humana ideal, de unidade corporal e psíquica - contida na evocação do andrógino reconstituído na sua plenitude - e a fragmentação, extinção ou morte dessa realidade, implícita na petrificação e ruína do espaço e das personagens ou no dilúvio como memória de uma mutação violenta cristalizada no tempo, indício de destruição, perda ou rutura.

Palavras-Chave: Surrealismo português, Raúl Perez, Pintura, Constantes imagéticas

Versão completa em PDF

Continuar... O Surrealismo de Raúl Perez: A Reconstituição e a Perda do Corpo Uno

 

Sentido e alteridade: uma relação indissociável.

3ª Edição

Adriana Danielski Batista

Resumo:

O presente artigo tem por objetivo verificar como a construção do sentido de um texto e/ou de um discurso se estabelece a partir das relações entre as palavras, segundo a Teoria da Argumentação na Língua (ANL), que tem sua base fundamentada no estruturalismo saussuriano. Ducrot (2005, 11) compartilha a ideia propagada por Saussure de que o significado de uma expressão se constitui em função das relações dessa expressão com outras expressões da língua, evidenciando que a construção do sentido é de ordem puramente linguística. Ou seja: o sentido se constitui na língua. Para tanto, pretende-se aplicar conceitos postulados pela referida teoria (ANL) à análise de uma carta de leitor publicada na seção Do Leitor do jornal Zero Hora.

Palavras-Chave: Sentido. Alteridade. Palavra.

Versão completa em PDF

Continuar... Sentido e alteridade: uma relação indissociável.

   

A História e as histórias em A costa dos murmúrios de Lídia Jorge.

3ª Edição

Luara Pinto Minuzzi

Resumo:

Este artigo tem por objetivo discutir o fazer e o escrever a história como montar uma ficção, como produzir um dos possíveis relatos entre tantos - e não como descrever a única verdade sobre os eventos ocorridos. Para desenvolver essa discussão, foi escolhido o romance A costa dos murmúrios, da escritora portuguesa Lídia Jorge, cujo pano de fundo é a Guerra Colonial da década de 1960. Ao longo de sua narrativa, é mostrado o que está por trás dos relatos oficiais, das narrativas de batalhas e de estratégias e das porcentagens de mortos e feridos: o cotidiano de mulheres e de crianças que, mesmo que não lutem e não empunhem armas, são tão relevantes para fazer a história quanto os soldados. Como apoio teórico, foram selecionados estudos de Linda Hutcheon, Hans Ulrich Gumbrecht e Paul Ricoeur.

Versão completa em PDF

Continuar... A História e as histórias em A costa dos murmúrios de Lídia Jorge.

 

Arte e Ausência: O Papel do Objecto na Obra de Andy Goldsworthy.

3ª Edição

Fábio Gouveia

Resumo:

Neste ensaio, o trabalho do artista britânico Andy Goldsworthy serve como ponto de partida para uma análise do papel que o objecto desempenha em relação à obra de arte. Confrontando, tanto a sua produção escultórica, como o seu espólio fotográfico, com textos teóricos sobre a natureza da obra de arte e o trabalho de outros artistas, procuro defender que a presença física de um objecto não é condição sine qua non à existência e apreciação de uma obra de arte. Analisando a forma como o público se depara com o trabalho de Goldsworthy (seja numa galeria, museu, livro, vídeo ou internet), pretendo efectuar uma distinção clara entre conceitos como "obra de arte" e "objecto artístico", sustentando a teoria de que a experiência da obra de arte é mental e possível através de uma reprodução.

Palavras-Chave: Arte; ausência; objecto; Goldsworthy; reprodução

Versão completa em PDF

Continuar... Arte e Ausência: O Papel do Objecto na Obra de Andy Goldsworthy.

   

Moving elephant, moving symbols Colonial discourses of translation in José Saramago’s A Viagem do Elefante

3ª Edição

Nout Van Den Neste

Resumo:

Este trabalho pretende estudar as maneiras em que A Viagem do Elefante de Saramago interage com o discurso colonial e postcolonial. A primeira parte concentra-se na evolução da personagem de Subhro através do romance. O objetivo é evidenciar as estratégias usadas pelo colonialismo para se apropriar do outro, como o de re-nomear, ou a reificação. Trata-se depois do simbolismo do elefante, que se encontra constantemente re-interpretado em relação ao poder, especificamente num nível religioso, durante sua viagem através da Europa e de diferentes sistemas de representação. O problema da representação é então levado em conta, numa análise da posição do narrador em relação com suas possibilidades de manter um discurso sobre um mundo (colonial).

Palavras-Chave: tradução postcolonial, José Saramago, reificação, simbolisação religiosa, A Viagem do Elefante

Versão completa em PDF

Continuar... Moving elephant, moving symbols Colonial discourses of translation in José Saramago’s A Viagem do Elefante

 

Contributo para o estudo da correspondência de Cícero e Jerónimo Osório.

3ª Edição

Tiago Prata

Resumo:

O presente artigo visa contribuir para o estudo das relações semânticas entre Marco Túlio Cícero, o político e autor romano activo no século I a.c., e D. Jerónimo Osório, o bispo renascentista considerado um dos expoentes do humanismo na história literária portuguesa, e a quem a cultura popular viria a considerar como um segundo (no caso, lusitano) Cícero. Com base na comparação de excertos e particularidades do espólio epistolográfico dos dois autores, pretendeu-se identificar e definir pontos de afinidade cultural entre obras literárias (e paralelismos da vida de ambos), relativamente à relação entre a produção epistolográfica e conceitos éticos e sobre a actividade pública/política enquanto elemento essencial do estado de humanidade (partilhados pela antiguidade clássica e humanismo renascentista). Desta forma, expande-se o conhecimento sobre a dimensão ciceroniana de Osório, propondo a necessidade de maior estudo sobre o assunto.

Palavras-Chave: Cícero; Jerónimo Osório; epistolografia; política; classicismo renascentista.

Versão completa em PDF

Continuar... Contributo para o estudo da correspondência de Cícero e Jerónimo Osório.