EDITORIAL

 

Quando, em Maio de 2012, editámos o primeiro número da estrema — Revista Interdisciplinar de Humanidades, sabíamos que o caminho que se abria não seria isento de dificuldades e obstáculos. O desafio maior confunde-se com a sua própria identidade e factor diferenciador: uma revista de alunos — à data do primeiro número, cinco discentes do Programa de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa — para alunos, da Faculdade de Letras e fora desta.

            O número que agora se publica, o sétimo, representa mais uma etapa nesse percurso de afirmação identitária e viabilidade editorial.